Ateu e agnóstico… e cristão

Em termos religiosos, sou ateu e agnóstico.

Ateu porque não acredito em deus nenhum; Nem me parecem verosímeis as religiões que até hoje fui conhecendo. 1) Procurar explicações para a vida e para a existência num ser superior apenas permite avançar um degrau na compreensão do todo, o que me soa extremamente inútil: Se a razão pela qual existimos e a finalidade do Homem fossem explicados pela existência dum Criador absoluto, ficaríamos confrontados com a razão pela qual existe e para que fim existe o Criador. Portanto, essa história não vai ao fundo da questão e não satisfaz. 2) A acreditar numa religião, qual deveria escolher? Porque há-de a religião católica ser mais credível do que a dos antigos egípcios ou a dos animistas? Algo tão fundamental e universal jamais poderá estar dependente do contexto social e histórico em que nasci. Caso eu fosse religioso, acreditaria em todas as religiões, que são contraditórias entre si. Portanto é forçoso não acreditar em nenhuma.

Sou agnóstico, porque não sei se existe Deus. Nunca encontrei provas de que ele existiria e por mais inverosímil que me pareça a sua existência jamais provei ou vi provada a sua inexistência. Penso que esta seria uma opção avisada mesmo para os crentes: manter a dúvida. Mas curiosamente, já conheci quem dissesse ter a certeza absoluta de que Deus existe: tal como ao olhar eu tomo conhecimento dos objectos, essa pessoa disse ter alguma forma de precepção que lhe transmitia objectivamente a presença de Deus. Nesse caso, eu seria um deficiente desse sentido místico lol..

Sei que muita coisa está por compreender e que devemos estar abertos a explicações menos científicas que indiquem um caminho para o conhecimento profundo da existência. Eu próprio afirmo que sou cristão (como seguidor da moral cristã). Mas não acredito numa consciência sobrenatural no Universo. Talvez esteja mais próximo das religiões orientais, sobre as quais não conheço o suficiente para opinar.

15 thoughts on “Ateu e agnóstico… e cristão

  1. EDSON diz:

    EU SOU CRISTÃO, NÃO PORQUE DEUS MANDOU UM ANJO E DISSE ‘OLHA É BOM VOCE ACREDITAR EM DEUS POR QUE ELE EXISTE’ OU PORQE UM FANÁTICO RELIGIOSO FEZ A MINHA CABEÇA, EU SIMPLESMENTE LI O NOVO TESTAMENTO EU NÃO VI NADA DE ERRADO EM FAZER AS COISAS QUE JESUS ENSINOU, NÃO HÁ NADA DEMAIS EM RESPEITAR O PRÓXIMO, NÃO CREIO QUE UM MONTE DE JUDEU IRIA ARRISCAR SUA PRÓPRIA VIDA POR UMA MENTIRA, SE REALMENTE ELES NÃO VIRAM O QUE DISSERAM QUE VIRAM, SERIAM DOIDOS PARA SE ENTREGAR A MORTE S CUSTAS DE UMA MENTIRA….SEREM CRUCIFICADOS, SERVIREM DE COMIDA AOS LEÕES (E ISSO A HISTÓRIA SECULAR NÃO NEGA!) EMFIM ENTÃO EU PARO PRA PENSAR SE EU ESTIVER ERRADO, O QUE EU PERDI? UMA VIDA CHEIA DE PRAZERES, BEBIDAS,MULHERES, DINHEIRO,FARRA, FESTAS, PROOSTITUIÇÃO, VÍCIOS ETC? POR OUTRO LADO SE A BÍBLIA ESTIVER CERTA? QUAL SERÁ O MAIOR PREJUÍSO? VOCÊ QUER PAGAR PRA VER? POIS EU NÃO.

  2. Também sou Cristão porque achei boa a mensagem humanista de Cristo. E acredito que eles acreditassem no que diziam. Elogio parares para pensar se porventura estarás errado, como disse, considero que a dúvida é positiva quando falamos de coisas que não conseguimos provar.
    Quanto à possibilidade de a Bíblia estar certa e eu ter uma vida desregrada, não me apoquento minimamente com isso. Considero cada um estar bem com a sua consciência o aspecto mais importante. Se Deus fôr como vem na Bíblia, penso que não levará a mal esta opção.

  3. Ricardo Melo diz:

    DEUS É MARAVILHOSO!
    CREIO EM JESUS, E SOU CATÓLICO COM MUITO ORGULHO E CONVICÇÃO!
    COMO SÃO MARAVILHOSAS A NOSSA FÉ, AS NOSSAS REZAS, AS NOSSAS GRAÇAS ALCANÇADAS E A GARANTIA DO AMOR E DA PIEDADE DIVINA!
    TENHO CERTEZA DA EXISTÊNCIA E DO BENEFÍCIO DISSO TUDO NA MINHA VIDA!
    DEUS ABENÇÕE A TODOS, INCLUSIVE AOS AGNÓSTICOS E ATEUS!

    AMÉM!

  4. Tu e muitas pessoas acreditam em Deus, a tua manifestação dessa fé não acrescenta muito à discussão, pois não? Preferiria comentários mais dialécticos, que reflectissem sobre as palavras anteriormente ditas, do que intervenções avulsas que fazem mais sentido numa igreja. Não adianta berrar (usar Caps Lock).

  5. Mary diz:

    Pois bem maninho, ca vai a minha resposta:
    eu cá sou cristã (mais propriamente frequento a igreja evangelica ha uns anos) e não tenho nenhum motivo cientifico ou simplesmente racional para explicar o porquê. Acreditar em Deus dá-me a esperança de concretizar os meus sonhos, dá-me força para continuar a trabalhar neles, dá-me conforto quando não o consigo encontrar em pessoas, enfim, faz-me sentir bem. E, para mim, não é preciso sequer um motivo racional para acreditar em Deus! Afinal, quando amamos alguém também não andamos à procura de uma razão lógica para o amarmos: nós não amamos alguém pela sua inteligência, pela sua beleza ou pela sua simpatia; isso são apenas características que nos podem atrair, mas na verdade nós amamos alguém por… nenhuma razão lógica! Nós amamos porque amamos e pronto! Se o amor fosse racional, cada um escolheria quem ama. Assim sendo, a minha fé também não tem de ser racional…
    Enfim, é isto que eu penso.

  6. Bem vinda a este espaço de reflexão🙂

    Para mim amar passa muito por conhecer. Sempre que amei uma pessoa, quis saber tudo sobre ela: os gostos, as opiniões, os estados de alma e a história dela. Sou assim, há quem considere isso chato. Não sou capaz de amar algo que desconheço. E eu desconheço Deus: nunca o ouvi falar, nunca vi, nunca senti… nada. Já me disseram muitas coisas sobre ele: que era bom, que era vingativo, que tinha formas humanas, que não tinha forma, que era um, que era três, que era muitos. Mesmo que tivesse percebido afinal o que era Deus, não chega ouvir falar – não me apaixono por desconhecidos.

    Quanto à força moral e existencial que Deus dá, reconheço que existe um certo conforto animador na ideia de que alguém nos ama, toma conta de nós e nos protege. Mas como não acredito nele, tenho de prescindir dessa comodidade. Não vou fazer de conta que acredito só para me sentir melhor, acho que não iria resultar.
    Mas ainda contínuo a perseguir os meus sonhos!

    Assim, tens razão no distanciamento que assumes em relação à minha perspectiva: A minha relação com o Cristianismo é muito racional. Prezo a sua moral e interessa-me a sua história. Também gosto de discutir teorias e pontos de vista contrários e encontro aqui terreno fértil. A religião é a única corrente de pensamento a arriscar respostas a perguntas tão básicas como “Quem somos?” ou “Onde é que isto tudo começou?”… é natural que lhes preste atenção e reflicta sobre elas. O meu caminho cruzou-se com a religião só por isso.
    Nesta senda, eu não busco um Deus, nem um conforto, nem sequer amor. Eu exijo apenas a Verdade.

  7. Uelliton diz:

    Somos efeitos de uma causa, que até o momento a ciência ainda não sabe que causa é essa. Em contrapartida à ciência, a tradição religiosa nos apresenta o conceito de um ser imutável e eterno que se caracteriza de modo transcendental. Então, como racionalmente não conseguimos provar a existência e inexistência desse ser transcental, que é Deus, ultimamente estamos nos deparando com um diálogo entre a ciência e a tradição religiosa. Ambas apresentam suas hipótes a respeito da origem do universo, mas não conseguem provar racionalmente. Se a hipótese da tradição religiosa é dogmática, é porque a razão não tem a capacidade de questioná-la , pois, ela só pode argumentar a respeito daquilo que ela conhece. Portanto, como Deus não pode ser observado pelos sentidos e pela razão, então o argumento apresentado pela tradição religiosa continua mantendo-se. Por isso, os agnósticos e ateus são meros sofistas e doxáticos, ou seja, vivem só de opiniões e imaginações, não tendo nenhum argumento para sustentar suas reflexões. Assim, é melhor eles estudarem profundamente a História da Filosofia, para terem a consciência do que falam. Pensemos nissos. Um abraço.

    • Caro Uelliton,

      Não sei o que significa «doxáticos». Mas sei o que significa agnóstico e esse significado não sabe você. Porque se soubesse não diria que um agnóstico, afirmando não saber se Deus existe ou não, é um sofista! Ou, conhecendo o significado, fala ardilosamente, como um verdadeiro sofista?

      Não diria que um crente ou um ateu, por acreditarem na existência ou inexistência de Deus, são sofistas. Apenas o serão se em altura nenhuma se questionarem profundamente sobre as suas convicções. Mas na maioria das vezes a fé e a dúvida andarão próximas, acredito.

      Não é o tema desta posta, mas abordemos o tema do confronto Igreja/Ciência; Fazendo notar que sempre houve muitos cientistas crentes e que em geral os padres não desmentem a Teoria Geral da Relatividade!
      O choque dá-se quando a ciência desmente a doutrina. A princípio a Igreja combate a heresia e quando já toda a gente a aceitou ela vai atrás. Foi assim com o Geocentrismo e com a Teoria da Evolução das Espécies, por exemplo. Não chega a haver propriamente um diálogo entre as duas.

      Penso que o lugar da Igreja é no além, no espírito, na moral, nos princípios… Quando se arrisca a vaticinar factos históricos ou naturais como tendo intervenção divina, tem boas probabilidades de se espalhar. O processo de canonização, do qual não sei senão generalidades mas constou-me que exije a ocorrência de milagres “provados”, é um exemplo do que não deveria acontecer: penso que se deveriam limitar a registar o amor a Deus dos santos, porque se um dia se descobrir que os milagres afinal têm uma explicação natural, o que farão?
      Parafraseando Jesus: Dai a Einstein o que é de Einstein, e a Deus o que é de Deus.

  8. Cr!s diz:

    Olá, é realmente impressionante como o tema Religião gera um debate incessante! Inclusive os principais acontecimentos ruins da nossa história são resultados de pequenas discussões entre Religiosos como: Inquisição, Guerra Santa, Israelistas e Palestinos,… eu realmente não gosto de participar de tais debates, mas os mesmos parecem inevitáveis e bem chamativos. A minha análise, esses tais debates, se não resultam nas guerras em que citei, resultam em intrigas ou mesmo em coisa alguma. Não me designo religiosa, muito menos agnóstica, ateísta ou cética! Creio verdadeiramente em Deus, não sou nenhuma espiritualista, maluca ou fanática do tipo que berra na rua! Mas ao mesmo tempo não tenho nada contra os mesmos, até admiro-os! Pois talvez saibam se expressar melhor que muitos, pois esses designados loucos, não são medrosos como muitos de nós.
    Também não tento provar a existência de Deus a quem não acredita nEle! Respeito a todos segundo as suas crenças, mas mantenho a minha opnião firme e forte! Não preciso provar-lhes a existência de Deus e nem o quero! Sou feliz em ter a Sua presença em minha vida, e digo-lhes que já tive muitas experiências mas nunca uma me marcou tanto quanto o encontro com Deus.
    Deus não precisa provar nada a ninguém Ele fala a quem O permite, Ele jamais invadirá o espaço de ninguém, apenas bate a porta, se você permite a Sua entrada, Ele entra e CEIA com você, se não Ele jamais derrubará a porta do seu coração para enfiar-lhe convicções em que você não quer crer!
    Eu abri o meu coração a Deus, e esta foi a melhor escolha da minha vida! Hoje não sou nenhuma perfeita, não sou melhor que ninguém, muito menos alieanada! Mas possuo um sentido maior para viver, que talvez seja inexplicável para você!
    abç.

  9. Mary diz:

    Olha quanto aquilo que me respondeste:
    1 – Não posso deixar de notar aqui uma certa incongruência (ou lá como é que esta palavra se escreve). Primeiro dizes ” Sempre que amei uma pessoa, quis saber tudo sobre ela” e depois já dizes “não me apaixono por desconhecidos”. Pela primeira frase até me pareces admitir que é possível amar algo e daí surgir uma necessidade de conhecer esse algo melhor… Mas pronto, continuando.
    2 – Quanto ao perseguir os sonhos… Deus não serve apenas de consolo, sabes? Isto agora vou parecer uma chaladinha a falar mas tem de ser: por experiencia propria tenho visto Deus operar na minha vida. Tudo aquilo que eu “pedi” (e não foi pouca coisa, e não foram apenas coisas óbvias, ate enunciava praqui umas mas isto na net… pronto, tem bicho, sao coisas um bocado pessoais, se tiveres curiosidade quando estivermos juntos questiona-me) recebi. E recebi sempre num timming demasiado rigoroso para poder ser coincidência. Aliás, uma outra razão para eu acreditar em Deus, é que tenho conhecido e vivido testemunhos de stuações que são perfeitas demais para serem coincidência. E nem é preciso irmos muito longe. Observando o universo, a complexidade de cada organismo – que é um conjunto de sistemas de órgãos, que por si são tecidos, que são conjuntos de células que desempenham funções especificas, e que por si já são conjuntos de moléculas conjugadas de uma certa maneira para dar origem aquela celula… Pah isso e perfeito demais para ser coincidencia, tem de haver algo de sobrenatural por detrá disto. É óbvio que pode não ser o Deus em que eu acredito, mas pelo menos isto, para mim, já me dá uma explicação para um lado sobrenatural que existe. Depois eu bem vejo para acreditar no Deus em que eu acredito é preciso dar um bocado o beneficio da duvida… mas tenho vindo a confirmar esta crença com as tais experiencias que tenho vivido.
    3 – Dizes que andas à procura da Verdade. Pronto… ta bem. Sinceramente isso aterroriza-me um bocado. Até porque acho que a partir do momento em que o Homem passasse a conhecer a verdade, a vida ia passar a perder toda a sua piada. Já pensaste que se calhar é mesmo de propósito que não diga respeito ao Homem de onde veio e para onde vai? Isso tirava toda a surpresa da festa. Íamos começar a viver sem curiosidade porque… já sabíamos tudo. Acho que não me expliquei muito bem nesta parte mas olha seja o que Deus quiser xD
    Ah e olha acrescentei aí o endereço do meu novo blog… aviso já que não tem nada a haver com o teu, o meu é mais do género “desabafos e crónicas deprimentes de uma adolescente a passar pela crise da idade” mas se mesmo assim fores lá sff deixa 1 comentário (so pa eu saber que passaste por lá, pode ser so mesmo a dizer “eu estive aqui”).

  10. CrisD diz:

    É impressionante como vários católicos, evangélicos, enfim, religiosos, postam comentários em sites e blogs sobre ateismo ou agnosticismo. Parece q procuram quem discorda (saudavelmente) deles e então vêm querer dar lição de moral. A arrogância deles me deixa pasma. Os piores são aqueles q ainda dizem q “deus ama vcs, mesmo q ñ acreditem”. Quem são eles para falar em nome desse suposto deus? Ateus e agnósticos, saiam do armário! Vamos nos organizar para minimizar esse preconceito tão vil q os teístas têm de nós.

  11. Jordann diz:

    O valoroso Deus dos Cristãos resolveu desaparecer antes do advento das telecomunicações e da internet. Parece que este Deus sempre preferiu se manifestar para rudes pescadores que na sua humildade se entregaram para os lobos como ovelhas. É mais fácil fazer do jeito dificil! Todo o poder e toda a glória serão mostrados para aqueles que creêm mesmo porque já estará gravado em suas mentes. Enquanto isso urubus aguardam crianças morrerem de fome na África para se fartarem com suas peles! Tenham a Santa paciência!

  12. flavio diz:

    A verdade, óbvia, inegável, é : se os crentes estiverem errados, nada acontecerá com eles ao “morrerem”, pois terão morrido felizes, acreditando em Deus, em vida além da “morte”, etc, mesmo estando errados; já os ateus, se estiverem errados, quando “morrerem”, vão sofrer um bocado, no mínimo por verem o quanto foram tolos, afirmando por toda vida algo que era falso, e por terem incentivado outros à mesma crença. Sem falarmos na situação espiritual ruim em que poderão se encontrar…

    Bem… sabedoria mesmo é não se arriscar afirmando algo que não pode provar e que pode lhe trazer consequências ruins depois, se estiver errado… Eu, se tivesse dúvidas quanto a um ser maior, criador de todas as coisas, não me arriscaria a posicionar-me ateu. Preferiria classificar-me “agnóstico”,por exemplo, o que não é a mesma coisa e é bem mais sábio… E, por favor, que nenhum ateu diga que pode “provar” a não existência de vida além desta e de um ser ou uma inteligência maior, criadora do Universo, da vida, chame-o Deus ou outro nome…

    • Assumir uma religião por ter medo de consequências é uma atitude um bocado cobarde, na minha opinião. Mesmo que eu fosse desses, não conseguiria decidir que a partir de agora vou começar a acreditar, por decreto. Não funciono assim.
      Também não imagino um deus vingativo. Tenho boa consciência, não tenho má índole e não mereço sofrer. Se Deus fosse assim mesquinho, eu próprio prescindiria de ir para tão má companhia. Ao menos o hospitaleiro Satanás abre a porta a qualquer desgraçado que lá queira entrar eh…

  13. Lokier diz:

    Felizes aqueles que acreditam sem ver…….

    Independentemente das religiões ou crenças, criadas, inventadas, alteradas ou até copiadas pelo homem deixem-se guiar por aquilo que todos nós temos, lógica, racionalidade, sentimentos, emoções, pensamento, etc, etc, etc.

    Pensem como seria o mundo sem as imposições sociais a que somos obrigadas à milhares de anos. Pensem por vós próprios porque todos nós temos essa capacidade e não precisamos que o outro nos venha dizer para vir acreditar nisto ou naquilo, pois se o fizer, mesmo que esteja certa, passará a estar errado.

    O caminho até à “verdade” é traçado por cada um de nós, e pode perfeitamente ser diferente para cada um de nós desde que o destino final o seja…

    Por isso, paz para todos aqueles que acreditam (e os que não acreditam) e encontrar-nos-emos no início do fim.🙂

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s