Manifesto Chatista

As sociedades estão a tornar-se cada vez mais individualizadas e a maior parte dos indivíduos não tem qualquer tipo de mobilização ideológica. Os poucos sujeitos que ainda idealizam encontram-se cada vez mais sós e inertes, esmagados pela multidão de estéreis mentais.
As colectividades perdem poder e as ideias reformadoras e revolucionárias dissolvem-se na inércia. No lugar destas sucedem-se as empresas e corporações despidas de preocupações sociais e focadas no lucro.

Adormecidos em mantos de bem-estar e consumismo, os indivíduos são indiferentes aos alertas lançados pelos poucos que mantêm os olhos abertos, os que vêem perigos aproximarem-se. Mesmo que uma parte ainda consciente da mente humana oiça o alarme já tonitruante, perferem as massas ficar no conforto e na indiferença, dissolvendo a responsabilidade num todo inimputável.

Torna-se por tudo isto imprescindível uma acção dissidente, de pequenos grupos ou solitária. Pela generalização dos pequenos focos, se tornará então evidente a necessidade duma mudança global.

O objectivo do Movimento Chatista é tornar a vida dos que andam à deriva desconfortável nas más opções, de modo que se mantenham conscientes das suas acções, tornando a pró-actividade e a assunção das responsabilidades numa postura preferível. Os alvos são as pessoas que adiam uma postura responsável e as empresas que lucram com o desrespeito.
Os meios são os actos que, sem serem crime, interferem com a passividade dos elementos adormecidos da sociedade, fazendo com que percam a paciência, o tempo, a compustura estudada;
Não é um objectivo deste Movimento castigar nínguem, nem vingar, nem tomar acções focadas no passado. O objectivo é antes fazer com que as condições que no passado fizeram as más opções preferidas, sejam no futuro alteradas e se tornem antes propícias à mudança. Para que o facilitismo deixe de ser uma opção fácil; Para que o idealismo combativo seja a opção apetecida.