Eu não penso – consumo-me

Eu não penso – consumo-me
Eu não sinto – sofro
Quando desejo já sossobro
Sempre que quero revolto-me

Não me satisfaço – dôo
Não me embriago – enveneno-me
Antes de acertar condeno-me
Se falho logo me rôo

Jamais alcancei – apenas envelheci
Não, não seduzo – grito por socorro
Antes de conquistar já me rendi

A mais plena alegria – um logro
Assim da forjada fé, jamais descri:
Quanto mais vivo, mais morro