Deposição

Somos eternos nómadas, loucos peregrinos, filhos de Gengis Khan, ciganos, campinos.
Estendemos a tenda onde bate o Sol de Inverno ou debaixo das folhas frescas de Verão.

Vou esculpir nossas estátuas, figurando uma família feliz, e pô-las num remoto recanto pelágico.
Aí viveremos a nossa vida de pessoas estáveis, felizes e unidas, num sossego eterno e imutável.
Assim seremos completos, teremos a duplicidade dos deuses, Brahma e Shiva, ícones e iconoclastas.
Enquanto os nossos corpos se tornam pó e desintegram, saberás sempre que, lá no fundo, somos felizes.